Reforma

oii
estou dando uma reforminha no blog,quer dizer eu e a Dany então por isso não estou postando muito e se tiver algo fora do lugar não reparem tá?

Dicionário do ballet

A
ADAGIO - Derivado do italiano – lentamente.a) qualquer dança ou combinação de passos feitos para a música lenta;b) série de exercícios efetuados durante a aula com o fito de desenvolver a graça, o equilíbrio e o senso de harmonia e beleza das linhas;c) parte dos pas de deux clássicos dançados pela bailarina e seu partner. Chamado pelos franceses de Adage.

ALLEGRO - Palavra italiana derivada do latim Alecer (vivaz).a) qualquer dança ou combinação de passos feito para uma música de tempo rápido ou moderado;b) parte da aula que segue o Adágio;c) todos os passos rápidos, como saltos, bateria etc., em balé, são parte do Allegro.

APLOMB - Aprumo. Dá-se o nome de Aplomb à elegância e ao controle perfeito do corpo e dos pés, conseguido pelo bailarino ao executar o movimento.

ARABESQUE - Arabesco. Palavra originária do árabe significando ornamento.Posição na qual o peso do corpo é sustentado numa só perna, enquanto a outra se encontra esticada para trás, geralmente no ar e com os braços dispostos de maneira harmoniosa.Esta posição apresenta variações tais como:1. O pé que sustenta o corpo pode estar totalmente apoiado no chão, na meia ponta, ou na ponta;2. A perna que sustenta a pose pode estar ou não flexionada;3. A posição do corpo pode estar alongada (allongée), ou inclinada (penchée);4. Também os braços sofrem alterações, sendo eles que determinam as qualificações dos arabesques.

B
BALANCÉ- ou Pas de Valse - Balanceado. É um passo balanceado em ritmo de valsa. O bailarino dá um passo ao lado com uma perna, trazendo a outra para trás desta, com o joelho meio dobrado e a meia ponta no chão; em seguida, transfere o peso do corpo para a perna de trás e logo em seguida para a da frente, sem mudar a posição de ambas.Pode ser feito também se cruzando a perna em frente ou dando-se o passo para frente ou para trás, em vez de ao lado.

BALLET - Balé. Derivado do italiano ballare (bailar). É um conjunto de passos de dança executados em solo ou em grupo. Balé reúne, na sua maioria, várias artes, tais como música, pintura (cenários e figurinos), arte dramática (mímica e interpretação), com a dança na sua forma clássìca ou moderna.

BASQUE, PAS DE- Passo de basco. Passo cujo nome indica sua origem. Foi introduzido no balé clássico por Maria Camargo (1 710-1770). Pode ser glissé (deslizado) ou sauté (saltado), en avant (para frente), ou en arrière (para trás).

BATTEMENT – Batida, pancada. Termo genérico designando certos exercícios e movimentos da perna e do pé, executados sob a forma de batidas. Basicamente, em balé, o termo battement significa a extensão total ou parcial da perna e do pé e seu retorno à posição inicial.

BATTU – Batido, golpeado. Este termo, ainda que relacionado a qualquer passo, mantém-se inalterado, significando apenas que o bailarino bate as pernas durante a sua execução. Por exemplo, um assemblé battue é um assemblé comum, porém com uma batida das pernas no ar.

BOURRÉE, PAS DE – Bourrée é o nome de uma dança folclórica das províncias de Auvergne e Berri. Sua conexão com os pas de bourrée do balé clássico é obscura, tendo sido introduzido com certa estilização, por alguns coreógrafos contemporâneos. É um passo de locomoção em geral com três movimentos das pernas, feitos em qualquer direção.

C
CHAT, PAS DE – Passo de gato. Passo em que o bailarino, começando de 5a posição, levanta a perna de trás num retiré, estando em demi-plié na perna de sustentação, pula lateralmente sobre a perna levantada, ao mesmo tempo em que levanta a outra em retiré e fecha 5a no demi-plié. O pas de chat italiano é feito com as duas pernas dobradas no ar ao mesmo tempo.

CONTRETEMPS - Contratempo. Passo composto de um coupé chassé, temps levé, chassé passé. 5a posição, direita em frente; coupé com a perna esquerda, chassé en avant com a direita, um temps levé sobre a perna direita, com a esquerda atrás em arabesque, e um chassé passé com a esquerda terminando em 4a allongée, com o peso sobre a perna esquerda em demi-plié e a direita atrás em degagé a terre.

COREÓGRAFO - Do grego Khoros (danÇa) e grapho (escrita), designa a pessoa que cria um balé; os passos e danças que, em seqüência, formam um balé. No princípio do século XVIII, este termo significava "anotador de dança"; como em geral era este quem também criava os passos do balé, a palavra passou a cobrir ambas as atividades. Quando desapareceu a arte de escrever os balés, o termo coreógrafo passou a significar apenas "criador de balé".

COREOGRAFIA - Termo usado no século XVlll para designar a arte de "anotação de danças" e que agora significa "seqüência de passos e movimentos que compõem um balé".

COTÉ, DE - Ao lado. Não é um passo; este termo, quando adicionado a qualquer passo ou exercício, significa que este deve ser executado ao lado.CROISÉ - Cruzado. Uma das oito direções do corpo do bailarino em relação ao palco e ao espaço circundante.

CROIX, EN - Em cruz. Fazer qualquer exercício en croix significa executá-lo em frente, ao lado, atrás e de novo ao lado.DDANSEUR NOBLE - Bailarino nobre. Nome em geral usado para designar a primeira figura masculina de um balé, o herói romântico, como o tenor numa ópera.

D
DANSEUR, DANSEUSE - Bailarino, bailarina.
DANSE DE CARACTERE - Dança folclórica ou a caráter.
DEBOULÉS - Rolar. Pequenos tours, em geral feitos em séries, em que o bailarino executa pequenas voltas, transferindo o peso do corpo de uma perna para outra. O mesmo que

CHAINÉS.DEDANS, EN - Para dentro. Indica que: (a) o movimento da perna é feito numa direção circular de trás para frente; (b) uma pirueta é executada girando para o lado da perna de sustentação.

DEGAGÈ- Afastado. Posição em que o bailarino se encontra sobre uma perna, com a outra afastada, ponta esticada, em frente, ao lado ou atrás. 0 degagé pode ser à terre, com a ponta tocando o chão, ou en I'air, com a perna levantada a meia ou grande altura.DEHORS, EN - Para fora. Indica que: (a) o movimento da perna é feito em direção circular da frente para trás; (b) uma pirueta é executada girando-se para o lado da perna que levanta do chão.

DEMI - Meio, metade. Qualquer posição ou passo efetuado de maneira pequena ou pela metade.

DEMI POINTE - Meia ponta, ou seja, sobre a sola dos dedos dos pés.
DERRIÈRE - Atrás. Qualquer passo, exercício ou posição executados atrás, isto é, com a perna fazendo o movimento atrás da outra ou então fechando atrás.DESSOUS - Embaixo. Qualquer passo executado com a perna de ação passando atrás da outra.DESSUS - Em cima. Qualquer passo que quando executado, a perna que comanda a ação passa na frente da outra.

DEUX, PAS DE - Passo de dois (ou passo a dois). Uma dança para duas pessoas. Grand pas de deux, nome dado nos balés clássicos para os pas de deux feitos pela primeira bailarina e pelo primeiro bailarino, destinado a mostrar sua virtuosidade, e em geral consistindo de entrada, adágio, variação para a bailarina, variação para o bailarino, concluindo com uma Coda.

DEVANT - Em frente. Termo relacionado a qualquer passo ou exercício que é executado em frente, isto é, com a perna fazendo o movimento em frente da outra, ou então fechando na frente.

EECARTÉ - Separado. Uma posição do corpo, oblíqua para o público, na qual o braço e a perna estão estendidos no mesmo plano vertical e diagonal como o resto do corpo. As outras posições do corpo são en face, croisé, ouvert (ou effacé).

ELEVATlON - Elevação. A altura dos saltos do bailarino. Termo aplicado a todos os movimentos aéreos, isto é, feitos no ar, com pequenos ou grandes saltos.

ENCHAINEMENT - Encadeamento. Qualquer combinação de vários passos numa aula é um enchainement.

EN FACE - De frente. Uma das direções do corpo, quando o bailarino está bem de frente para o público.

ENTRECHAT – Termo provavelmente originado do italiano cabriola intrecciata, ou seja, cabriola cruzada. Um salto no ar de 5a posição em que o bailarino , no ar, cruza as pernas uma, duas ou três vezes.

F
FOUETTÉ - Do termo francês fouetté (chicote). Devido à grande diversidade dos vários passos, tanto da barra, de adágio e de allegro, denominados fouettés, é todo movimento seco (chicoteado) executado pela perna, ou pela perna e corpo, quando este faz um movimento, virando para o lado contrário da perna.

J
JETÉS – Jogados. Passo de allegro. São diferentes tipos de saltos. Pode ser petit jeté, jeté ordinaire, grand jeté, grand jeté en avant, grand jeté en tournant, jeté passé, jetés battement, jetés elancés e, na escola russa, ainda o jeté fermé.

M
MÁITRE-DE-BALLET, MAITRESSE-DU-BALLET OU CHEFE DO BALÉ - É o responsável, junto ao coreógrafo, por manter e remontar, quando necessário, a obra, respeitando sua autenticidade, qualidade técnica e artística. O maitre-de-ballet também dá aulas à companhia cuidando da unidade de trabalho e estilo que estão sob a sua responsabilidade.

MANÉGE – Picadeiro. Indica a forma em que o bailarino executa os tours, quando estes são feitos ao redor do palco, como se circundasse um picadeiro imaginário.

MARCHÉ, PAS - Passo marchado ou andado. Um passo comum, feito com o pé esticado, colocando-se primeiro no chão a meia ponta e em seguida o calcanhar.

P
PAS - Passo. Um único movimento de perna, quando no ato de andar ou dançar.

PIROUETTE – Pirueta. Uma volta inteira do corpo executada sobre uma perna (na ponta ou meia ponta), enquanto a outra está dobrada, com o pé em frente ao joelho da perna de sustentação. Quando a volta é feita para o lado da perna que levanta, a pirueta é en dehors; quando a volta é para o lado da perna de sustentação, a pirueta é en dedans.

PLIÉ - Dobrado. Flexão dos joelhos. Um exercício que compõe quase todos os outros da barra.

PORT DE BRAS - Movimento dos braços.
PROFESSOR (A) - É aquele que ensina em diferentes níveis aos alunos a técnica da dança, desde seus princípios básicos até o nível profissional, dependendo de sua capacidade.PROMENADE - Passeio, uma volta lenta dada sobre um pé (toda a planta no chão ou na ponta, neste último caso com a ajuda de um bailarino), enquanto a outra perna está numa dada posição (arabesque, por exemplo). Devem-se tomar como eixo os dedos do pé, enquanto o calcanhar vai executando uma volta completa em torno dele (o eixo).

Q
QUATRE, PAS DE - Passo de quatro. Uma dança para quatro pessoas. Numa coreografia pode haver solos até para dez pessoas, homens e mulheres. Depois desta quantidade já é considerado Corpo de Baile.

R
REPETITÉUR (ENSAIADOR) - É o assistente do maitre-de-ballet, ensaia as diversas partes da obra, variações, solos, grupos, corpo de balé e é também professor categorizado.

T
TOUR - Volta. O mesmo que pirueta. Em geral as grandes piruetas são mais comumente chamadas tours. Exemplo, pirueta en attitude ou tour en attitude. Também as que são feitas em séries, como o tour piqué.

TOUR EN L'AIR - Volta no ar. Em geral, passo para o bailarino homem. Saindo de 5a posição (ou qualquer outra, em geral 2a ou 5a) no demi-plié, o bailarino dá um salto para cima com as pernas bem juntas ao mesmo tempo em que vira uma ou mais voltas no ar com o corpo.

TOURNANT, EN - Virando. Adicional aos passos que podem ser feitos com uma volta do corpo. Como, por exemplo, o assemblé soutenu, que pode ser simples (sem a volta) ou en tournant.

TROIS, PAS DE - Passo de três pessoas. Variação de dança feita por três bailarinos, em geral duas moças e um rapaz.

V
VALSE, PAS DE - Passo de valsa. O mesmo que balancé.

Maquiagem de palco

A maquiagem de palco existe para acentuar os traços e expressões e facilitar ao bailarino transmitir qualquer sentimento ao público. Siga este passo a passo para uma maquiagem tradicional de ballet clássico:

Mulheres:

1. Espalhe pancake ou  o trio "corretivo, base (do tom da sua pele) e pó" por seu rosto. Cuidado para o pescoço e o colo não ficarem com a cor diferente.

2. Passe a sombra da cor escolhida logo acima da pálpebra, passando o pincel de dentro para fora (no sentido do nariz para as orelhas). O colorido da sombra não deve ficar apenas acima dos olhos, mas deve alongar-se um pouquinho para os cantos de fora. (Ver desenho). Use tons neutros, terra ou tons de cinza e preto, que combinem com sua pele e seus olhos.



3. Contorne os olhos pelo lado de fora da pálpebra com um lápis ou delineador preto. O traço de cima nunca se encontra com o de baixo, e nos cantos de fora dos olhos alongue os dois traços paralelamente.

4. Entre as sombrancelhas e a sombra colorida, passe uma camada de sombra branca, espalhando no mesmo sentido.

5. Use rímel e cílios postiços

6. Espalhe o blush no alto das maçãs do rosto, em direção à ponta externa da sobrancelha. Use o finzinho do pó do pincel para colorir bem de leve as maçãs.

7. Alongue a sobrancelha com um lápis preto ou marrom, no sentido ascendente (ver imagens).
8. Batom. Geralmente vermelho, fosco. Não use gloss. Não escureça demais os lábios, que ficam ainda mais escuros na luz.
Dicas: Um traço de lápis branco na parte de dentro da pálpebra inferior valoriza e abre o olhar. Use gliter dourado ou prata entre as maçãs e os olhos.

Dicas Extras:
Descubra suas maçãs:
. Em frente ao espelho, faça um biquinho, como se fosse um peixinho. A região que ficou funda é a covinha da sua bochecha. Ainda no espelho, dê um sorriso. A área que ficou mais saliente é a maçã do seu rosto.
Descubra a cor ideal para seu tom de pele:
Clara: Blushes em tons de rosa e salmão. Sombra bege, o caramelo, o verde e o azul
Morena: Laranja, cobre e bege, tons de marrom e terracota. Sombras pastéis, terrosas, douradas, pretas e verdes.

Negra: Tonalidades avermelhadas, puxadas para o cereja ou o vinho.
Oriental: Rosa queimado e marrom alaranjado em blush, e mesmos tons para sombras, além de azul, dourado e verde.




Maquiagem de palco para os rapazes:

1- Passar o pancake por todo o rosto e pescoço

2- usar delineador nos olhos em preto ou marrom, passando apenas uma fina camada para destacar os olhos. Passar sobre pálpebra e puxar um pouco para cima. Passar rente aos cílios de baixo, por fora e puxar uma pequena linha paralela ao delineador de cima.

3- usar rímel

4- destacar as sobrancelhas com lápis preto ou marrom. Deixá-la ascendente

5- usar batom cor de boca (tom claro)

Se tiverem alguma dúvida é só postarem nos comentários abaixo!


priscilla yokoirudolf nureyev
alicia alonso
Sim,é verdade. Fui ver a Coppélia ao cinema, e foi maravilhoso.Nada comparado com ver ao vivo, mas muito melhor que ver na TV ou mesmo no PC. E foi impressionante, faziam planos gerais, grandes planos para as caras (para podermos ver mais a representação) e até para os pés (!).
E claro, não podia deixar de falar do backstage. Antes do espectáculo começar tinham câmaras a gravar os bailarinos a aquecerem, a ensaiarem e até a meditarem. Via-se também os backstage nos intervalos entre os actos. E claro, mostraram também imagens do maravilhoso teatro Bolshoi e dos próximos bailados agendados.
http://www.youtube.com/watch?v=zn1bxP9pSfA&feature=player_embedded


Neste corrupio, tomei também atenção a uma bailarina a quem nunca tinha ligado muito. Natalia Osipova. Ela é na realidade maravilhosa, tem uma delicadeza impressionável e encarna a personagem. Dizem que o seu melhor papel é Kitri, em Dom Quixote. Não duvido.
Junto também uma pequena entrevista, onde Osipova fala da experiência de ballet no cinema. Fabuloso.

Entrevista de Osipova

Amei a frase

Eu achei essa frase bem legal,eu á achei no blog Carol's blog http://theblogcaa.blogspot.com/

Por dentro de toda pessoa fria, pode existir um 
coração destruído.

Diferença entre sissone e grand jeté

o salto clássico de Don Quixote é o Sissone, e não algum tipo de Grand Jeté.
Sissone
A diferença básica entre um grand jeté e um sissone: no sissone, as duas pernas saem do chão ao mesmo tempo, e o impulso é tirado de um único plié. Depois do plié, a perna da frente sobe esticada, e a de trás dobra, como na foto.
Grand Jeté
Já no grand jeté, sempre há uma preparação mais longa e “dançada”, como valsas, chassés, pas de bourres; claro que o impulso também é retirado de um plié. Só que neste salto, a perna da frente sobe como se desse um “chute” e a de trás somente acompanha-a. Detalhe muito importante: este “chute” deve lhe impulsionar para cima, e jamais para a frente, pois se não o salto não vai ser muito alto e nem dará aquela impressão de leveza; os braços também ajudam muito na altura e durabilidade do salto.

o salto clássico de Don Quixote é o Sissone, e não algum tipo de Grand Jeté.
Sissone
A diferença básica entre um grand jeté e um sissone: no sissone, as duas pernas saem do chão ao mesmo tempo, e o impulso é tirado de um único plié. Depois do plié, a perna da frente sobe esticada, e a de trás dobra, como na foto.
Grand Jeté
Já no grand jeté, sempre há uma preparação mais longa e “dançada”, como valsas, chassés, pas de bourres; claro que o impulso também é retirado de um plié. Só que neste salto, a perna da frente sobe como se desse um “chute” e a de trás somente acompanha-a. Detalhe muito importante: este “chute” deve lhe impulsionar para cima, e jamais para a frente, pois se não o salto não vai ser muito alto e nem dará aquela impressão de leveza; os braços também ajudam muito na altura e durabilidade do salto.